Paróquia Nossa
Senhora Aparecida

R. Parque D. Luis, 273 – São Paulo, SP | Tel: (11) 2979-9270 | E-mail: secretaria@nsaparecidajsp.com.br

› 01/05/2012

Sem Jesus Cristo não há liberdade

Meus amados irmãos, muita paz para vocês!

Neste tempo pascal em que a vida renasceu, somos obrigados a conviver com as coisas antigas. Mas o dado da fé nos leva à transcendência, ir além da visão humana, na certeza de que Deus é muito mais do que nós imaginamos e ingressarmos nesta nova vida preparada para nós.

Somos livres! Essa é uma ótima constatação! Jesus venceu a morte e tirou-nos da escravidão em que estávamos mergulhados. Mas essa certeza só a teremos na fé. Sem ela não perceberemos nada novo. A fé são os olhos da humanidade que caminha sob a luz do evangelho. Aquele ou aquela que está em Jesus Cristo sente-se livre para tomar decisões que agradam a Deus, mesmo que estas lhe sejam difíceis.

Escutei nesses últimos dias, por ocasião da votação sobre o aborto dos fetos anencéfalos, que as mulheres devem ter a liberdade de decidirem se abortam ou não. Fiquei pensando: Elas são livres sim, porém, em Jesus Cristo. As que veem as coisas com os olhos da fé não terão nenhum problema em levar a gravidez adiante, mesmo com algum sofrimento. Elas sabem que é missão nossa deixar que se cumpra a vontade de Deus em nossa vida. A nossa maior dificuldade está em abrir os olhos daquelas que não veem essa realidade celeste e, conduzidas por guias cegos, são levadas para o nada tomando decisões isoladamente.

Recentemente encontrei um antigo conhecido que sempre teve ideias atravessadas em relação à fé. Agora, mais ainda! Formado em filosofia, amante da ciência e no meio político, ele deu a entender aquilo que muita gente já pensa, que a Igreja não deve se intrometer nesses assuntos. E, como os outros, defendeu o aborto dessas crianças, dizendo que elas não têm perspectiva de vida e que se deve respeitar a liberdade de cada mulher.

Disse a ele que toda liberdade só existe na perspectiva da fé. Fora de Jesus Cristo não há liberdade. Essa liberdade leva-nos a uma profunda reflexão sobre os conceitos éticos e cristãos, preservando-os e observando-os. Mesmo assim, ele não concordou e nosso diálogo ficou cada vez mais difícil, o que me obrigou a encerrar a conversa.

Alguém pode dizer que a Igreja precisa evangelizar mais, eu até concordo, mas faltam pessoas para fazer isto, porém, faz-se necessário também uma maior e melhor acolhida ao Evangelho que quebra as algemas da ignorância justamente para compreendermos que somente Deus dá e tira vida. Se não houver essa abertura é impossível, pois não podemos enfiar o Evangelho à força no coração das pessoas.

Bem, esperemos o dia sem ocaso, quando Deus será tudo em todos. Enquanto ele não chega, continuemos rezando por aqueles que não aprenderam a crer no Deus da vida.

Minha bênção para todos.

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *