Paróquia Nossa
Senhora Aparecida

R. Parque D. Luis, 273 – São Paulo, SP | Tel: (11) 2979-9270 | E-mail: secretaria@nsaparecidajsp.com.br

› 13/05/2015

Já temos o maior de todos os sinais

Estimados paroquianos, amigos e leitores, Deus seja louvado por tudo.

Neste mês de maio, celebremos a alegria da Igreja em dedicar um mês à Virgem que nos deu o Salvador, Jesus Cristo, vencedor da morte.

Celebrar o mês mariano é fazer referência às aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos, em Fátima, Portugal, que aliás, tiveram a virtude de guardar tudo no silêncio do coração.

Isso é muito importante e serve de exemplo para todos nós, especialmente nos dias de hoje, quando surgem tantas pessoas falando que tiveram as mais diversas visões.

As aparições de Fátima, como sabemos, não entram nas categorias das verdades reveladas, mas são aceitas pela Igreja, que as tem como sinal das ações de Deus. Porém, devemos tomar bastante cuidado com as visões, para não deturpar a própria fé e atrapalhar o crescimento espiritual das pessoas, achando que são mais merecedoras do que as outras, por terem tido algum tipo de visão.

Em primeiro lugar, toda revelação se conclui com Jesus Cristo (“de muitos modos Deus falou ao seu povo, mas nos últimos tempos, nos fala através de seu Filho, Jesus Cristo” Hb 1,2). A isso damos o nome de revelações públicas, ou seja, estão na Bíblia. Em segundo lugar, temos as revelações privadas que são justamente aquelas que não estão na Bíblia. Estas também merecem certa atenção, mas não podem tomar o lugar da Palavra.

São João da Cruz, que foi mestre da Teologia mística e também teve visões do próprio Jesus Cristo, disse uma vez que as visões, locuções e revelações são de pouca importância para a vida mística. Chamou inclusive a atenção para o perigo da ilusão se, de fato, alguém atribuir demasiada importância a esses fenômenos.

O saudoso Cardeal de Aparecida, Dom Aloísio Lorscheider, refletindo sobre São João da Cruz, disse ainda que é preciso tomar muito cuidado com essas “propagandas” para que não se tire a pureza da fé, colocando em risco a falta de humildade e a submissão à vontade de Deus.

Nós, paroquianos e devotos de Nossa Senhora Aparecida, festejamos com muita alegria e fervor as suas aparições no interior do Estado e guardamos no coração a grande certeza de que ela intervém constantemente em favor de seu povo, haja vista o seu título de intercessora da humanidade. Entretanto, não precisamos buscar outras aparições para crer que a Mãe de Nosso Senhor se faça presente em nosso meio.

Caros irmãos e paroquianos, nós já não precisamos de mais nada, senão a fé em Deus Nosso Pai, que já nos deu o maior sinal de todos: Jesus Cristo, sinal universal de Salvação que nos conduz ao céu.

Aproveitemos esse mês de maio e intensifiquemos nossas orações a Deus, agradecendo a Ele por ter nos dado Maria como mãe e intercessora.

Deus abençoe a todos!

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *