Paróquia Nossa
Senhora Aparecida

R. Parque D. Luis, 273 – São Paulo, SP | Tel: (11) 2979-9270 | E-mail: secretaria@nsaparecidajsp.com.br

› 27/05/2014

A cada dia bastam as suas próprias preocupações

Caros irmãos e amigos, a paz para todos!

O título acima, tirado do Evangelho de Mateus – capítulo 34, versículo 6 -, não é um convite a cruzarmos os braços e abandonarmos nossas responsabilidades. Na verdade, a citação bíblica nos convida a caminhar sob a sombra de Deus, que a todos cobre com seu amor infinito.

Há preocupações que não podem sair do nosso caminho e proposta de vida, servindo para melhor compreender e viver o mistério de Deus. São preocupações que não têm caráter cansativo, não nos levam a um estresse cotidiano e engrandecem o nosso espírito, fazendo-nos mais felizes e completos.

Algumas delas estão no nosso dia a dia, como: cuidar e ajudar os que sofrem, ajudar alguém a atravessar uma rua, partilhar o que temos e, sobretudo, viver a caridade, procurando olhar, com os olhos da fé, quem é nosso próximo.

Estamos no mês da Copa do Mundo, em que quase todos os olhares se voltam para o futebol, sem levar em conta outras coisas, como parte do cotidiano do povo.

Há outra passagem bíblica que pode nos ajudar a respeito da alegria com a Copa do Mundo no Brasil: “Esse povo me honra com os lábios, mas o coração está longe de mim” (Mt 15,8). Parece-me bem apropriado para esse momento, em que se incentiva para uma alegria, camuflando o estado deplorável em que se encontra o país, sem se preocupar com a real situação do povo sofrido.

Não é difícil encontrar no Brasil pessoas que sequer têm luz elétrica em casa e muito menos poder aquisitivo para comprar uma televisão e ver os jogos da copa.

Não podemos viver de aparência, achando que as coisas estão bem, quando na verdade, não estão. O que dizer dos comerciais de televisão que mostram parte do povo feliz e contente pela realização da copa, quando a outra parte está triste e desesperada por ver parentes largados em hospitais públicos, sem qualquer zelo, crianças sem educação de qualidade, gente sem salário digno, moradia e transportes? É preciso fazer isso, sem deixar aquilo, diz outro texto da Palavra de Deus (Lc 11,42). Isto é, poderia ter o evento, mas era preciso antes, cuidar do que é mais importante.

Nós, trabalhadores e eleitores, não podemos receber toda culpa por tão grande desordem, pois pouco podemos fazer. Governantes e auxiliares, que receberam de nós poder para mudar o destino de uma nação, deveriam ter uma maior sensibilidade em relação a esse descaso.

Diante de tudo isso, não me alegrarei como gostaria com esta copa. Mas torcerei e assistirei aos jogos do Brasil. Embora com uma alegria presa e acorrentada, o amor à pátria celeste está acima de tudo.

Meus caros amigos, a cada dia bastam as suas preocupações e o momento atual é de combater aquilo que aniquila e destrói as pessoas: a falta de dignidade humana, acompanhada da falta de zelo por todos aqueles que merecem e almejam um país justo, igualitário e fraterno.

Nossa Senhora Aparecida inspire a todos.

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *