Paróquia Nossa
Senhora Aparecida

R. Parque D. Luis, 273 – São Paulo, SP | Tel: (11) 2979-9270 | E-mail: secretaria@nsaparecidajsp.com.br

Artigos e reflexões › 07/07/2014

O dízimo é um ato de fé e de ação de graças a Deus…

foto     O dízimo é um ato de fé e de ação de graças a Deus, Deus que é sumamente bom e digno de ser amado. Essa experiência está enraizada na fé de nossos primeiros pais, como podemos ver a partir da Bíblia Sagrada, tanto no Antigo Testamento quanto no Novo Testamento.

O livro do Gênesis relata a primeira experiência do dízimo, acontecida em um ambiente de fé e de celebração: “Melquisedec, rei de Salém, trouxe pão e vinho e, como sacerdote de Deus Altíssimo, abençoou Abrão, dizendo: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, Criador do céu e da terra. Bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou teus inimigos em tuas mãos. E Abrão entregou-lhe o dízimo de tudo” (Gn 14,18-20).

O sentimento de gratidão à presença amorosa de Deus foi tão grande em Abraão, que ele percebeu que sua experiência de fé não estava completa, pois faltava um modo de expressar todo o seu agradecimento ao Deus Altíssimo. Ele louvava, bendizia, celebrava, mas não era o suficiente. Ele queria ir além, mais a fundo na experiência de fé, porque sentia que era necessário louvar e bendizer a Deus com algo de si, com o fruto do seu trabalho, com o labor de suas mãos, e encontrou na experiência de entregar o dízimo a justa medida. Contribuir com o dízimo, para Abraão, não foi somente dar uma ajuda material para o culto, num ato que não envolve a fé e nem o coração; para ele, o dízimo foi, na verdade, um grande ato de fé no Deus Altíssimo que caminhou ao seu lado.

O Novo Testamento não apresenta o dízimo do mesmo modo como está organizado no Antigo Testamento, mas apresenta discípulos e discípulas que têm a mesma fé e a mesma atitude fundamental de ir além, de dar um passo a mais no caminho da fé e do seguimento do Senhor. Como exemplo dessa atitude, podemos tomar o relato do Evangelho de São Lucas: “Depois disso, Jesus percorria cidades e povoados, proclamando e anunciando a Boa-Nova do Reino de Deus. Os doze iam com ele e, também, algumas mulheres que tinham sido curadas de espíritos maus e de doenças: Maria, chamada Madalena, de quem saíram sete demônios; Joana, mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes; Suzana e muitas outras mulheres, que os ajudavam com seus bens” (Lc 8,1-3).

Essas mulheres, agradecidas por tudo o que Jesus fez, glorificam a Deus seguindo o Mestre e Senhor, porque Ele é quem dá todos os dons e é a fonte de todas as bênçãos, e colocam à disposição de Jesus e seus discípulos parte dos bens.

Abraão e essas mulheres têm muito a nos ensinar no caminho da fé, no seguimento de Jesus; ensinam-nos que o dízimo nasce de um coração agradecido e de um ato de fé; ensinam-nos que a fé fortalecida nos leva à maior gratidão a Deus, leva-nos à experiência de entregar o dízimo, segundo a medida do coração.

 

Dom Sergio de Deus Borges
Bispo Auxiliar de São Paulo
Vigário Episcopal para a Região Santana

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *